25 de Maio de 2018

Procon-JP alerta população para as notícias enganosas nas redes sociais durante problema com combustíveis

 

Evanice Gomes

A Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP) alerta aos cidadãos para ficarem atentos às mensagens mentirosas que circulam nas redes sociais, os chamados fake news, repassando notícias sem procedências, provocando pânico e revolta nas pessoas durante a problemática da alta de preço e da falta de combustíveis. A criação e a divulgação dos fakes são crimes previstos na legislação brasileira, sob pena, inclusive, de prisão.

O secretário Helton Renê explica que os fakes news colocam ‘mais na lenha fogueira’ em uma situação já bastante difícil, como é o caso atual da falta de combustíveis, produto que movimenta todos os setores da sociedade. “Além de atrapalhar o trabalho de fiscalização dos órgãos de defesa do consumidor, essas notícias mentirosas que circulam nas redes sociais elevam o estado de tensão do cidadão, aumentando o tumulto em uma situação já caótica”.

Helton Renê acrescenta que o momento é de responsabilidade e serenidade. “A alta nos preços dos combustíveis e o risco de desabastecimento devido à greve dos caminheiros que atinge todo País já causam problemas suficientes para a população. Além do trabalho pertinente aos órgãos defesa do consumidor, temos que lidar, ainda, com notícias enganosas que pipocam nas redes sociais, desviando nossos fiscais dos locais onde realmente ele seria necessário”.

É crime – O titular do Procon-JP aconselha que as pessoas que receberem informações que, a uma primeira ‘olhada’ se configure em algo absurdo, deve checar a informação antes de repassarem adiante. “Ontem recebemos várias denúncias de postos que estavam vendendo o litro da gasolina a preços exorbitantes, a exemplo de R$ 11,00 ou R$ 9,00. Quando fomos atrás, a notícia não procedia. Reafirmo que produzir e divulgar material enganoso é crime. As notícias que nos chegarem e forem comprovadas como fakes news, serão apuradas e os responsáveis punidos”.

Fiscalização continua – Helton Renê afirma que a equipe de fiscalização vai continuar a percorrer os postos de combustíveis da Capital para garantir que não ocorram irregularidades e abusividades. “Estamos monitorando todos os postos em atividades, com nossa equipe de fiscais trabalhando diuturnamente, notificando postos e apurando irregularidades, a exemplo do aumento dos preços acima da média prevista pelo reajuste oficial”.

E salienta: “Estamos em uma situação de alerta e a população deve ajudar repassando informações corretas, com denúncias verídicas. Não podemos perder tempo averiguando informações propositadamente enganosas”. Helton Renê informa que aqueles estabelecimentos que forem pegos apresentando alguma irregularidade serão autuados e as multas podem chegar a R$ 30 mil, além da suspensão das atividades comerciais.

Atendimento do Procon-JP:

Sede: Segunda a sexta-feira das 8h às 14h, na avenida Pedro I, nº 473 – Tambiá

Telefones: 0800 083 2015; 3214-3040; 3214-3042; 3214-3046

Procon-JP no MP: segunda a sexta-feira das 8h às 17h, no Parque da Lagoa, nº 300, Centro





©2015 | PROCON JP | Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Rodolfo Abrantes

Avenida Dom Pedro I, nº 473, Centro , João Pessoa – PB. CEP: 58013-020. Central Telefônica - +55 (83) 3214-3040 - SAC: 0800 083 2015